Idosa recebe alta hospitalar após ter queimaduras causadas pelo peeling de fenol

 Idosa recebe alta hospitalar após ter queimaduras causadas pelo peeling de fenol

Foto: Arquivo Pessoal

A idosa de 64 anos que teve queimaduras graves após fazer uma aplicação de peeling de fenol em uma clínica de Curitiba recebeu alta hospitalar, de acordo com a Polícia Civil do Paraná (PC-PR).

Conforme a polícia, a alta foi na quinta-feira (20). A família da vítima disse que ela está em casa e respira com a ajuda de cilindro de oxigênio enquanto aguarda o retorno de exames.

Nesta terça-feira (25), uma resolução publicada pela Anvisa proibiu temporariamente a importação, fabricação, manipulação, comercialização, propaganda e uso de produtos à base de fenol em procedimentos de saúde em geral ou estéticos.

Segundo a corporação, a vítima fez o procedimento em 25 de maio com Pâmila Rios, que se apresentava nas redes sociais como esteticista e biomédica. Depois, a paciente passou a sentir dores e, 11 dias após o peeling, foi hospitalizada com queimaduras de segundo e terceiro graus.

No início da investigação, a delegada Aline Manzatto afirmou que, além de existirem indícios de que Pâmila não poderia realizar o procedimento, a mulher não deu orientações adequadas para a paciente.

“Por diversas ocasiões, após o procedimento, a vítima e os familiares questionaram a profissional sobre a necessidade de assistência médica, a qual teria afirmado que as dores eram normais e apenas recomendou a aplicação de uma pomada no rosto”, afirmou a delegada.

Em 11 de junho, a suspeita prestou depoimento à polícia e afirmou que é estudante de biomedicina, diferentemente da forma que se apresentava, como biomédica e esteticista, profissões que exigem formação específica.

Quando o caso veio à tona, o advogado de Pâmila, Paulo Cristo, disse que ela tem capacitação para realizar o procedimento, apesar de não ter formação na área da saúde.

Em 13 de junho, a Polícia Civil fez uma operação na clínica da suspeita e encontrou produtos injetáveis sem registro Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), incluindo frascos de fenol manipulado e ácido hialurônico vencido.

A polícia disse que o caso continua sendo investigado e que testemunhas estão sendo ouvidas.

Fonte: G1

Redação 2

Notícia relacionada