Cirurgia feita dentro do útero da mãe salva vida de bebê com tumor benigno no pulmão

 Cirurgia feita dentro do útero da mãe salva vida de bebê com tumor benigno no pulmão

Foto: Reprodução/Internet

Uma cirurgia inovadora feita dentro do útero da mãe, salvou a vida do bebê Rafael. O pequeno, ainda na barriga, tinha desenvolvido um tumor benigno no pulmão que crescia rapidamente. Apesar do medo, a psicóloga Monique Araújo Batista, de 46 anos, não pensou duas vezes em salvar a vida do filho.

Com apenas um quilo e 28 semanas dentro do útero, ele passou pela cirurgia para que os médicos pudessem remover a massa sólida que já ocupava 90% da sua caixa torácica e comprimia seus pulmões e coração.

“No caso do Rafael, demos corticoides, mas não houve resposta. A única chance era a cirurgia […] “Se o tumor continuasse crescendo, o feto morreria”, “, afirmou o cirurgião e obstetra Antonio Moron, responsável pelo serviço de Medicina Fetal do Hospital e Maternidade Santa Joana, em São Paulo, onde o procedimento foi feito.

Amor de mãe

Monique Batista disse que jamais teve dúvidas sobre o que teria de fazer para salvar a vida de Rafael. “Quando eu tive o diagnóstico, eu só chorava porque você não imagina esse tipo de coisa quando fica grávida.” É o amor de mãe!

A mãe reconheceu que, apesar da coragem, sentiu receio: “Bateu muito medo, mas eu não tive dúvidas sobre ir para a cirurgia. Os médicos disseram que, se a gente não fizesse, a chance de o Rafael sobreviver era de 5%. Se fizéssemos, era de 50%”.

A cirurgia

Em 26 de julho, foi feita a cirurgia que contou com 26 profissionais pela sua complexidade. Olha como a medicina pode ser incrível! Foi feita uma incisão na barriga de Monique para que o útero fosse retirado da cavidade abdominal e o bebê pudesse ser operado.

Uma técnica inovadora contribuiu para o êxito da cirurgia – o bracinho direito de Rafael foi tirado para fora do útero para que fosse colocado na mãozinha do bebê um acesso venoso pelo qual ele receberia os medicamentos durante a operação.

“Esse acesso venoso foi importante para garantir o suporte hemodinâmico (circulatório) para a criança. A gente abriu o tórax do bebê, tirou o tumor e, em todo esse período, a criança se manteve estável”, afirmou Moron.

Final feliz

Apesar do susto e do medo, a cirurgia foi um sucesso e Rafael ficou sem sequelas! Que coisa mais linda!

Ele nasceu em 30 de julho e precisou ficar algumas semanas internado por ter nascido com 31 semanas de gestação. Ele teve alta no dia 8 de setembro e se desenvolve normalmente. Tem feito fisioterapia para fortalecer a respiração.

“Nunca imaginei que uma cirurgia do bebê dentro do útero poderia ser feita, mas fiquei muito feliz por ter essa possibilidade porque foi o que salvou a vida dele”, concluiu Monique.

Viva a medicina!

Fonte: Portal Mulher Amazônica

Beltrão Agora

Notícia relacionada